Black Friday 2017: dez dicas para comprar pela internet com segurança

0
813

Mais de 30% dos consumidores devem usar celulares e tablets para realizar compras na próxima Black Friday, que acontece nesta sexta-feira, 24 de novembro. Os dados são de um levantamento realizado pela Google e pelo Ibope. Em 2016, o índice de compras com dispositivos móveis foi de 22%. Já a expectativa de crescimento das vendas online na data promocional é de 15% a 20% em relação ao ano passado, devendo beneficiar a economia do país com aproximadamente R$ 2,2 bilhões.

A facilidade de pagamento, aliada à economia de tempo, torna-se um atrativo para o consumidor, mas é preciso ficar alerta para os perigos do e-Commerce. Pensando nisso, separamos os principais cuidados que devem ser tomados durante as compras na Black Friday para que o uso do comércio eletrônico não se transforme em dor de cabeça. Confira!

  1. Reputação da loja: é importante pesquisar sobre a qualidade de atendimento antes de comprar qualquer coisa. É possível fazer esse tipo de pesquisa na própria página da loja nas redes sociais. Além disso, sites como Reclame Aqui e Procon-SP podem ajudar a reconhecer a idoneidade da empresa. Verifique, também, se a loja informa CNPJ, telefone e endereço no site. Se esses dados não estiverem disponíveis, é recomendável não seguir com a compra, já que há grandes chances de haver algo errado por ali.

  2. Preferência: opte por lojas que oferecem diversos recursos ao cliente como chat para esclarecimento de dúvidas, fotos e descrições detalhadas dos produtos, espaço para opinião do consumidor, interação com redes sociais e diversas formas de pagamento.

  3. Ambiente seguro: busque no site por selos como ‘Internet Segura’ e ‘Site Seguro’. Esses dados mostram que a loja toma medidas de segurança para receber informações dos clientes. Ao fechar uma transação, observe, também, se o navegador de internet exibe o ícone de um cadeado na parte inferior ou na barra de endereço. Esse símbolo representa o uso do SSL (Secure Socket Layer), importante recurso de segurança.

  4. Compare preços: o preço dos produtos pode variar bastante de um site para outro. Para tanto, é importante usar serviços como Google Shopping e Buscapé para pesquisar valores. Também é possível buscar e comparar opiniões de outros compradores sobre os produtos.

  5. Desconfie dos preços: se você já sabe o preço médio do produto que deseja comprar e o encontra à venda por um valor muito baixo, desconfie imediatamente. Ofertas muito generosas, mesmo que anunciadas como promoção, tendem a ser uma fraude: você corre o risco de receber um produto falso ou até mesmo ficar sem nada.

  6. Prazo de entrega: fique atento ao prazo de entrega da loja. Se o prazo é de muitos dias, isso pode ser um sinal de que a empresa não tem o item em estoque e ainda vai tentar obtê-lo com um fornecedor. A empresa pode agir de má fé e não enviar o produto que foi comprado.

  7. Direito ao arrependimento: por lei, o consumidor que faz compras online tem o direito de se arrepender do ato no prazo de até sete dias após o recebimento do produto. A loja, portanto, deve fornecer informações claras e devolver todo o valor pago pelo cliente.

  8. Compras futuras: existem sites que permitem que o cliente guarde seu cadastro com dados do cartão de crédito para compras futuras. É recomendável não fazer isso pois o site pode ser invadido e terceiros podem usar essas informações para fazer compras indevidas.

  9. Computadores e Wi-Fi públicos: nunca faça compras a partir de computadores público, pois podem não ter atualizações de sistema operacional e antivírus, havendo chances de informações pessoais serem roubadas. Evite, também, comprar por meio de redes Wi-Fi abertas ou públicas, pois não se sabe quem as controla e dados confidenciais podem ser interceptados. Veja aqui algumas dicas de cuidados com o uso de Wi-Fi público.

  10. Segurança do seu computador ou dispositivo móvel: lembre-se de manter seu sistema operacional e serviço de antivírus atualizados. Tenha cuidado com links, sites e e-mails falsos que direcionam para arquivos maliciosos.

Dicas: ADT, maior empresa de monitoramento de alarme no Brasil.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu nome