Doença celíaca em adultos: como diagnosticar?

0
654

Cerca de 1% da população mundial é portador da doença celíaca, também chamada de intolerância ao glúten, proteína presente no trigo, na cevada, na aveia e no centeio. Embora o número pareça pequeno, entre os mais atingidos estão as mulheres e o diagnóstico da doença em adultos vem crescendo nos últimos anos. 

Segundo um estudo realizado pela Associação dos Celíacos do Brasil, com cerca de 500 associados, em 28,7% dos participantes os exames confirmaram a doença, sendo a maioria do sexo feminino – proporção de 2 mulheres para 1 homem. A idade média do diagnóstico foi a faixa dos 16 anos para o sexo masculino e 26,7 para o sexo feminino. Estes resultados apontam para uma tendência de diagnóstico da doença celíaca em idades mais avançadas, especialmente entre as mulheres.

Ao ingerir um alimento com glúten, o celíaco desenvolve uma reação imunológica no intestino delgado que causa a destruição das vilosidades da mucosa, dobras responsáveis pela absorção de nutrientes, vitaminas, sais minerais e água. Os sintomas da doença celíaca são diarreia crônica acompanhada de distensão abdominal, perda de peso, alteração do humor e anemia. A doença nem sempre é facilmente diagnosticada, já que os sintomas podem aparecer de forma branda ou agressiva.

Segundo a especialista, a retirada dessa proteína da dieta pode melhorar o quadro ou contribuir para o desaparecimento dos sintomas. “O consumo de alimentos que contenham glúten por paciente que ainda não foi diagnosticado com a doença celíaca pode desencadear um processo inflamatório. Por isso, os sintomas não podem ser desprezados. Nesse caso, é necessário que o paciente não se exponha à proteína”, afirma a endocrinologista Dra. Myrna Campagnoli.

Como o diagnóstico nos casos com poucos sintomas é considerado difícil, a investigação da doença deve ser criteriosa. É preciso se submeter a exames precisos para que haja comprovação suficiente. Entre os métodos de diagnóstico, estão a sorologia para antitransglutaminase IgA, anticorpo antiendomísio IgA e anticorpo antigliadina, além de biópsia do intestino.

Existem alguns remédios que até permitem a pessoa consumir alimentos com glúten, mas não são recomendados para uso contínuo. Procure um médico, tire suas dúvidas e faça todos os exames necessários para descobrir qual é o seu problema.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu nome