Fábrica de Cultura promove oficina Funk e Alfabetização

0
275
O objetivo é utilizar o ritmo popular como ferramenta para auxiliar métodos tradicionais de alfabetização
Qual o melhor método para a alfabetização? Há quem defenda o uso de textos reais para que cada pessoa desenvolva seu conhecimento sobre o sistema de escrita, enquanto outros preferem focar na relação entre som e letra. Já pensou melhorar a leitura e escrita fazendo rimas de funk? Essa é a proposta da oficina Funk e Alfabetização, que acontece entre os dias 9 e 30 de abril na Fábrica de Cultura Brasilândiainstituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.
Nos encontros com MC’s do projeto Do Peri pro Mundo, o público aprende o ABCDário ao som do batidão e das rimas do funk, a partir de diversos exercícios práticos. As oficinas acontecem às terças-feiras, 15h e é pensada para crianças e adolescentes.
Não só o funk, mas o rap e o trap soam como poesia. A partir das rimas passamos uma mensagem para as pessoas, escrevendo de uma forma mais próxima da realidade da maioria que está ouvindo”, explica Welton Ferreira do Nascimento, 22 anos, sócio fundador Do Peri Pro Mundo. Essa aproximação ajuda no momento da alfabetização, e o ritmo colabora para a memorização de letras, sílabas e palavras.
Do Peri Pro Mundo surgiu no bairro Jardim Peri (região próxima à Fábrica), com o intuito de formar MC’s profissionais aptos a concorrerem no mercado da música. Do projeto, foi gravada uma música no estúdio da Fábrica que em breve estará disponível ao público, entre outros trabalhos já lançados nas redes sociais.
Serviço:
Funk e Alfabetização
Data: De 9 a 30de abril
Horário: Terça-feira, das 15h às 17h
Recomendação etária: livre.
Atividades gratuitas, sem necessidade de inscrição prévia ou retirada de ingressos.
Fábrica de Cultura Brasilândia
Avenida General Penha Brasil, 2508
www.fabricasdecultura.org.br 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu nome