GUIA DA ZN

Com queda nas doações, Cruz Vermelha faz campanha para arrecadação de alimentos e recursos financeiros

Foto: Divulgação  – 

De agosto para setembro, as contribuições livres em dinheiro caíram de R$32 mil para R$ 9 mil

Fundada em 1912, a Cruz Vermelha Brasileira – São Paulo (CVB/SP) integra a maior instituição de ajuda humanitária do mundo, presente em 192 países atuando há mais de 150 anos para minimizar o sofrimento e levar suporte à população mais vulnerável, principalmente em momentos difíceis como guerras, desastres naturais e crises de saúde, como a atual Covid-19.

Após o recorde de 57,2 toneladas de roupas na Campanha do Agasalho 2021, a entidade tem um novo desafio: arrecadar alimentos e recursos financeiros para continuar ajudando as 118 ONGs cadastradas junto à entidade.

Se os itens da Campanha do Agasalho aqueceram mais de 30 mil pessoas durante o inverno, agora é o momento de ajudar a alimentar quem tanto precisa de ajuda. A entidade avalia que os impactos sociais da pandemia, aliada ao agravamento da crise econômica, elevaram o número de pessoas que vivem em situação de insegurança alimentar.

“Atualmente, 20 milhões de brasileiros chegam a passar 24 horas ou mais sem nada comer”, relata Bruno Semino, diretor executivo da Cruz Vermelha São Paulo, que cita os dados sobre insegurança alimentar da Rede Pessan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional).

O desafio de obter alimentos para essa quantidade de pessoas é enorme e, segundo a entidade, a queda nas doações foram intensas. Para efeito de comparação, no mês de setembro a entidade arrecadou 12,3 toneladas de alimentos e cestas básicas, mas doou 14,3 toneladas desses itens e 11 mil máscaras (a diferença veio de recursos próprios).

Em termos de recursos financeiros livres, foram recebidos R$ 9 mil em setembro, R$ 32 mil em agosto e R$17 mil em julho para custear toda a operação logística. Para se ter uma ideia da escassez de recursos, em fevereiro as doações livres chegaram a R$ 2,3 mil para sustentar a instituição. “A nossa dificuldade está no fato de que o número de famílias precisando de cestas básicas e outros tipos de ajuda só aumenta e não há recursos para auxiliar a todos”, destaca Semino. Tão importante quanto receber alimentos e roupas é a obtenção de recursos financeiros, pois é com esse dinheiro que é feito todo o apoio às atividades da Cruz Vermelha São Paulo.

Quem quiser se tornar um doador da entidade pode fazer a contribuição pela internet acessando o site https://www.cruzvermelhasaopaulo.org.br com valores mensais a partir de R$ 15,00. As contribuições em alimentos podem ser feitas de forma presencial na sede da entidade, localiza na Avenida Moreira Guimarães, 699, Indianópolis, São Paulo/SP.

Deixe uma resposta