SAÚDE

Dieta: qual promove a perda de peso de maneira eficaz e duradoura?

Foto: Divulgação – 

 Que a obesidade é um problema de saúde pública, todos sabemos, mas em meio a tantas ofertas para emagrecer e diga-se de passagem, algumas bem loucas, qual seguir?

É isso que vamos falar no decorrer deste texto para que tudo fique bem esclarecido e você tome a melhor decisão.

Para isso conversamos com a Dra. Bruna Marisa, médica, especialista em emagrecimento, pós graduada em medicina ortomolecular, com diversos títulos em medicina esportiva e membro da SBEM, que, apoiada em sua experiência pessoal e em longos anos de estudos acadêmicos, concluiu que para se alcançar um emagrecimento eficaz e duradouro, é preciso passar por três etapas fundamentais, que ela chama de Os 3 Pilares Sustentáveis para um Emagrecimento Duradouro:

Mudança de Comportamento;
Plano Nutricional individualizado as necessidades – Ela recomenda a Low Carb- com baixo déficit calórico e redução de carboidratos refinados;

Aumento de gasto energético– Atividades Físicas
Estudos epidemiológicos mais recentes apontam que a cada 3 pessoas, 2 estão acima do peso, precisando emagrecer, e que a alimentação tem papel fundamental na saúde.

O que nunca faltou foram as receitas milagrosas com promessas de emagrecimento rápido e eficaz. Mas o que a ciência tem a nos dizer, com fontes e informações seguras, sobre as propostas de emagrecimento aliados à boa alimentação?

 Dieta Low-carb, o Jejum Intermitente e a Dieta Cetogênica, são algumas das propostas conhecidas e noticiadas pela mídia. O problema é que muitas vezes não são apresentadas informações com base científica sobre estas práticas.

A Dra Bruna Marisa comenta sobre os pontos positivos e negativos de algumas destas propostas.

Jejum Intermitente
Talvez seja a prática mais antiga, vinda dos tempos paleolíticos, onde comia-se 1x ao dia. Assim, o jejum intermitente, mesmo sendo chamado de dieta, é, na verdade, uma estratégia nutricional que se caracteriza por períodos alternados de jejum e alimentação.

Pontos Positivos: Longevidade, ajuda no emagrecimento, ajuda no tratamento e prevenção de doenças, melhora na função cerebral, promove a autofagia celular, Aumenta a secreção de HGH, Previne doenças neurodegenerativas e cardíacas e Aumenta a sensibilidade à insulina.

Pontos Negativos: no início, pode provocar dores de cabeça, tontura, halitose entre outros. Por isso, a Dra Bruna Marisa acha necessário uma preparação para iniciar o Jejum Intermitente. É necessário orientação e acompanhamento médico adequado.

 Low-carb:
Tendo como objetivo não gerar picos de insulina no organismo, a dieta de baixa ingestão de carboidratos, proporciona uma queima de gordura disponível no corpo, impedindo a produção de novas células de gordura.

 Pontos Positivos: Perda rápida de peso, restringindo o consumo de açúcar e alimentos processados. A pessoa não sentirá fome pois proteínas (carnes e ovos), oleaginosas e gorduras boas, podem ser consumidos sem restrições. Além disso,  baixa os níveis de triglicérides, colesterol e açúcar no sangue.

 Pontos Negativos: Pode haver reganho do peso que foi perdido; caso não haja as mudanças de hábitos por toda a vida; Limita o consumo de frutas e verduras; pode causar dores de cabeça; constipação; falta de certas vitaminas, por isso deve ser feita também sob orientação médica.

 A médica diz que é praticante e adepta à low carb há muitos anos e também a indica a maioria de aos seus pacientes. A  melhor estratégia de emagrecimento  é decidida sempre depois de uma avalição completa, de acordo com as individualidades de cada um. Assim como o jejum intermitente, a especialista não encara a low carb como mais uma dieta que você faz e volta a consumir tudo que deseja, quando elimina os kilos em excesso, mas ela afirma que a low carb deve ser encarada como um estilo de vida, uma conscientização, para que assim, você possa usufruir de todos seus benefícios, que são para a vida toda.

 Cetogênica:
A dieta cetogênica, também conhecida como Keto, tem como objetivo, quase que zerar os níveis de insulina no sangue para que o corpo entre em cetose e recorra ao estoque de gordura do corpo, a fim de mantê-lo funcionando.

 Pontos Positivos: perda rápida de peso em tempo reduzido; maior saciedade, melhora de sintomas do autismo, esquizofrenia, doenças crônicas, aumento dos níveis da atividade cerebral, utiliza as gorduras do corpo como fonte de energia para manter o organismo funcionando.

 Pontos Negativos: prisão de ventre, restrição total de carboidratos. É de fato uma estratégia muito difícil de ser mantida e nem todos se adaptam. Muitas pessoas não tem indicação para uso. A Dra Bruna diz que só deve ser indicada em situações muito específicas e por um curto período de tempo.

A pergunta que vale um milhão é: Qual é a melhor dieta para emagrecer? Observando essas propostas, percebemos que há vantagens e desvantagens em todas elas.

A Dra. Bruna Marisa responde à pergunta de forma muito lúcida: “A melhor dieta é aquela em que você se adapta, acredita e está disposto a praticar como estilo de vida”. Manter um foco e manter-se motivado. Ter dedicação, persistência, autoconfiança e otimismo são fatores fundamentais para que qualquer projeto na vida seja bem sucedido. Ter um objetivo claro e não ter medo de fazer o que for preciso para chegar até ele” – Aconselha a médica e ainda ressalta: “É importante que a pessoa saiba o porquê ela quer emagrecer, que seu motivo sirva como o primeiro passo para uma longa jornada. Com essa motivação é necessário definir as metas alcançáveis e seguir à risca cada passo. Sem isso em mente, de nada adianta encontrar a dieta mais adequada.”

 

 

 

Dra. Bruna Marisa
www.drabrunamarisa.com.br
Instagram: @drabrunamarisa

Deixe uma resposta