EDUCAÇÃO

Disciplinas eletivas: A nova realidade do Ensino Médio

Group of the students lined up for a portrait.

Uma das maiores novidades dos últimos tempos na tão “tradicional” (e arcaica) estrutura escolar brasileira é a possibilidade de os alunos escolherem algumas disciplinas ao longo do Ensino Médio, de acordo com seus interesses pessoais.
Essa possibilidade foi trazida pela BNCC (Base Nacional Comum Curricular), que é o documento oficial do governo que dá o norte da educação para as escolas do Brasil, instituída no ano de 2018. As escolas têm um prazo oficial para a implementação das assim chamadas disciplinas eletivas em seus currículos de Ensino Médio até o ano de 2022. No entanto, algumas poucas (e corajosas) escolas implementaram já no ano de 2020 essas disciplinas em sua grade horária. O texto que se segue tem como objetivo jogar uma luz sobre esse tema e levantar algumas preocupações e reflexões que estudantes, pais, escolas e professores devem ter sobre o mesmo.

Quanto aos estudantes:
Cuidado ao usar como critério de escolha das disciplinas eletivas a pretensa facilidade ou dificuldade que uma determinada matéria pode apresentar. Isso vai mostrar uma falta de maturidade muito grande de sua parte. É muito comum nos enganarmos com expectativas em relação a disciplinas, principalmente por preconceito ou desconhecimento. Muitas vezes achamos que uma matéria pode ser simples ou difícil e a realidade se mostrar exatamente contrária a isso. O melhor critério que vocês podem ter é escolher o que tem mais vontade de fazer, mesmo que seja só para experimentar. Afinal, é apenas uma matéria! Vocês já fazem tantas coisas de forma obrigatória. Aproveitem essa oportunidade para vivenciarem experiências novas no ambiente escolar. É uma chance excelente de ter contato com conteúdos diferentes sem o grau de comprometimento, por exemplo, que a entrada em um determinado curso no Ensino Superior carrega.

É também uma ótima oportunidade para descobrir novos gostos e aptidões. Se o estudante já sabe o caminho que vai trilhar na Universidade ou na vida pós-escola, ele já pode começar a estudar temas afins ou mesmo completar pontos que não serão vistos futuramente na formação escolhida. Uma boa escolha de eletivas fará seu Ensino Médio muito mais interessante e útil!

Quanto aos pais:
A oferta de eletivas atraentes pelo colégio pode, e deve, fazer parte do processo decisório de escolha de uma boa escola para o Ensino Médio. Sem dúvida nenhuma essa formação das eletivas será um grande diferencial na formação dos jovens. Disciplinas ligadas às áreas de Empreendedorismo, Cidadania, Meio Ambiente entre outras, tem sido muito valorizadas! Pesquisem sobre o corpo docente da escola, sobre o quanto ele é preparado para ministrar disciplinas que são além da sua matéria tradicional. Procurem ver o quanto a escola é organizada e comprometida com a implementação dessas disciplinas e se possível busquem depoimentos de alunos que já cursaram as eletivas (para as escolas que já as implementaram em 2020). Claro que essas recomendações também não deixam de ser úteis para os estudantes.

Um aprendizado que tive na minha vida profissional, como professor e coordenador, foi de sempre planejar um curso pensando no seu começo, meio e fim. Parece um pouco óbvio, mas o fato é que muitos planejam o começo sem pensar no fechamento. Isso faz toda a diferença, pois dessa forma sempre sabemos aonde queremos chegar e temos a visão do “grande quadro”. E é essa a minha principal recomendação às escolas: procurem, dentro do possível, enxergar o processo como um todo, ou seja, pensar nos três anos do Ensino Médio e, se possível, também no Ensino Fundamental. É muito importante enxergar o todo para aumentar as chances de sucesso na implementação de disciplinas novas, pois dessa maneira conseguimos fazer muito mais conexões entre elas e outras disciplinas tradicionais. Outro ponto que é muito provável, é o fato de que ao entrar na grade horária uma nova matéria eletiva, tenha que sair da grade uma aula de uma matéria tradicional. Isso deve ser cuidadosamente analisado para não comprometer o ensino dos conteúdos tradicionais. Muitas vezes essa mudança e acerto de aulas e horários pode acabar, inclusive, promovendo mudanças no segmento anterior (Ensino Fundamental). Para abrir horários para as eletivas no Ensino Médio, alguns conteúdos podem passar para o Fundamental. Claro, respeitando-se sempre as diretrizes e regras de cada segmento. Por isso reafirmo a importância de se pensar a escola como um todo e não como segmentos compartimentados.

Quanto aos professores:
Aproveitem essa chance das eletivas para desenvolverem novos trabalhos! Tenho certeza de que todos vocês têm pelo menos uma ideia de uma disciplina diferente. Na hora de “vender seu peixe” para a direção procure mostrar a relevância da sua eletiva e o porquê da importância dela fazer parte da grade horária da escola. Mostre organização no seu planejamento! Emplacar uma nova disciplina na grade de uma escola, significa acrescentar valor ao seu currículo e abre mais possibilidades profissionais. Pesquisem temas que estejam em evidência e que sejam relevantes para a formação dos jovens. Criem matérias úteis e atrativas para os estudantes!
As disciplinas eletivas estão chegando para ficar. Elas têm tudo para representar um ponto de inflexão no tão criticado Ensino Médio brasileiro, que da forma como está pensado hoje se propõe a ensinar “tudo” aos alunos, mas que tem falhado miseravelmente nisso, não conseguindo muitas vezes sucesso mesmo nos indicadores e metas mais básicos. Que o interesse dos estudantes pelas disciplinas eletivas possa ajudar a melhorar a relação deles com a escola, e que isso se transforme em uma menor evasão escolar e em uma melhora dos indicadores educacionais para esse segmento tão importante e maltratado da Educação Básica no Brasil.

Aproveito para desejar a todos os leitores Boas Festas e que 2021 seja um ano melhor para todos!

 

 

 

 

Prof. Jordy
Educador, Tutor e Mentor de Estudos
jordy@didatike.com.br
Instagram: @didatike

Deixe uma resposta