EDUCAÇÃO

Inglês fluente abre portas para aprendizagem em instituições estrangeiras

Foto: Reprodução Google –

 Graças ao crescimento do ensino a distância (EAD), aquele sonho de cursar em Harvard ou em Oxford, que era privilégio para poucos, vem se tornando mais acessível para todos. Importantes universidades aderiram ao formato de aulas online, abrindo oportunidade para quem quer estudar de qualquer parte do mundo. Porém para ter acesso ao conteúdo, deve-se ter domínio do idioma nativo do curso, regra que vale para a maioria deles, sendo que testes de proficiência na língua são exigidos.

Para Denis Sá, cofundador da Enjoy Inglês Profissionalizante, essa tendência do EAD democratiza o ensino, possibilitando o acesso a renomadas instituições no exterior para um maior número de pessoas. “É uma chance valiosa de se aprender em uma universidade como Harvard, por exemplo, sem sair de casa, sem ter que gastar com viagem, hospedagem e alimentação durante o curso, gastos altíssimos que impossibilitava muita gente de realizar o sonho de ter um certificado internacional”, aponta Sá.

O Brasil não fica de fora, sendo que as universidades brasileiras também estão disponibilizando cursos online. Só a Fundação Getúlio Vargas (FGV) contabilizou de janeiro a junho 1,3 milhões de inscrições em seus cursos gratuitos. A Universidade de São Paulo (USP) só em julho disponibilizou cerca de 70 cursos onlines e também gratuitos.

A força que o EAD ganhou durante a pandemia é um caminho sem volta, visto que ele tem se mostrando um grande aliado na formação de muitos profissionais e estudantes, que amparados por conhecimento em outras línguas e acesso à tecnologia, podem entrar em um universo de informações antes restrito a um seleto grupo.

Deixe uma resposta