PET

Inverno: Saiba como manter os pets protegidos

Foto: Divulgação

Médicas veterinárias falam dos cuidados especiais que os tutores precisam ter para prevenir que cães e gatos fiquem doentes

A estação mais fria do ano chegou e, com ela, além das baixas temperaturas, há também, em algumas regiões do país, períodos de chuvas e ventos gelados.

Assim como a saúde humana necessita de atenção no inverno, é preciso também manter alguns cuidados especiais com os animais de estimação, que para muitos, são como membros da família.

A médica veterinária Thais Matos, da área de Confiança & Segurança da DogHero , maior empresa de prestação de serviços para animais de estimação da América Latina, alerta sobre a prevenção de doenças que podem acometer os pets no inverno. “Cães e gatos também ficam gripados. A gripe canina, por exemplo, é uma doença respiratória infecciosa causada pelo vírus influenza A. Esse vírus é proveniente do mesmo gênero que adoece os humanos, porém com subtipos que atacam somente os animais”, alerta Thais.

Segundo a veterinária, alguns dos sintomas são bem semelhantes aos dos humanos, como: tosse, espirros, secreção nasal (coriza), olhos lacrimejantes, febre, letargia, perda de apetite, dificuldade de respirar ou ainda respiração rápida (em geral curta e com ruídos, devido à secreção).

“Sabemos que ficar gripado é bem incômodo. Por isso, os tutores precisam ficar atentos a esses indícios, pois quanto antes for identificada a presença do vírus, mais rápido será a recuperação do pet. Em geral, a maioria dos casos de gripe canina é leve. Mas isso não descarta a consulta ao médico veterinário para tratamento. Além de ser bastante desconfortável, a presença do vírus no organismo do animal de estimação pode causar outras infecções ou piorar as existentes”, orienta Thais.

Não é só o sistema respiratório dos pets que precisa de mais atenção no inverno. Com a sensibilidade mais aflorada, as dores articulares são casos mais frequentes também nessa época do ano. Por isso, Jade Petronilho, médica veterinária e coordenadora de conteúdo da Petlove , reforça que os pais e mães de pets devem manter-se atentos às mudanças no comportamento. “Se o animal de estimação tiver um histórico de artrose ou displasia, por exemplo, siga as orientações médicas à risca e cuide para que a casa fique sempre numa temperatura agradável para o pet”.

Jade também dá dicas importantes sobre o banho nos dias frios. “Aposte na redução da frequência de banhos e, caso seja necessário banhá-lo, aqueça um pouco mais a água e seque seu pet com secador, não deixando sua pele e pêlos úmidos, mesmo que esteja sol”.

Pensando na proteção de cães e gatos durante o inverno, as médicas veterinárias selecionaram algumas dicas que podem ser incorporadas neste período de baixas temperaturas, são elas:
-Esquente seu pet: manter o animal de estimação aquecido é essencial para prevenir que ele fique doente. Existe hoje uma diversidade de produtos criados exclusivamente para os animais de estimação, que podem ser utilizados para mantê-los aquecidos, como: cobertores, edredons e mantas. Outra dica são as roupinhas, que além de os deixarem os pets mais charmosos são ideais para que eles fiquem mais quentinhos, como as blusas ou vestidos com capuz. Ainda há outras opções como o moletom ou blusão para o cãozinho, macacão, pulôveres e capas. As caminhas no estilo toca são excelentes, inclusive para os felinos, que não gostam muito de roupas.

-Alimentação e hidratação: no inverno, a ingestão de água fica comprometida, portanto, para melhor hidratação do pet, a recomendação é que o tutor espalhe vários potinhos de água fresca pelo ambiente. Como o gasto energético é maior na estação mais fria, em alguns casos, avaliados pelo médico veterinário, a quantidade de alimento para o pet pode ser aumentada. Pets obesos devem seguir a dieta orientada pelo médico veterinário.
Os gatos dormem mais no inverno e acabam por comer e beber menos, portanto, para manter o peso e a hidratação dos felinos, os alimentos úmidos são as melhores opções.

-Vacine o pet contra gripe: por mais que o pet seja vacinado, ele pode contrair um vírus diferente. A vantagem de manter a vacinação contra a gripe canina em dia, é que ela pode vir com sintomas bem mais leves e fica mais fácil de ser tratada em pets vacinados. No Brasil estão disponíveis as versões intranasais (que agem diretamente na defesa do nariz do pet contra infecções respiratórias), as injetáveis, que possuem o mesmo mecanismo de ação que as demais e as orais, recém-lançadas no mercado. Mesmo com o desafio atual do distanciamento social, em algumas localidades já está disponível o serviço de veterinário em domicílio, idealizado para facilitar a vida de pais e mães de pets com consultas e vacinação em casa.

Deixe uma resposta