DESTAQUESGUIA DA ZN

Leucemia: a importância da conscientização e solidariedade

Quando nos referimos ao câncer, o mês de fevereiro tem uma data importantíssima que é o dia 4 de fevereiro quando se comemora o Dia Mundial do Câncer. A data — coordenada pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) — é uma campanha de utilidade pública que busca o aumento da conscientização e da educação sobre o câncer.

Desde 2019 a campanha segue o tema #IAmAndIWill (#EuSoueEuVou). Em 2021, por ser o encerramento dessa temática, a campanha traz o slogan Eu sou e eu vou: juntas, todas as nossas ações são importantes, um lembrete de que nossas ações individuais, quando somadas, têm o poder de alcançar um futuro mais saudável e promissor.

Mas, o que é o câncer?
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer – INCA, câncer é um termo que abrange mais de 100 diferentes tipos de doenças malignas que têm em comum o crescimento desordenado de células, que podem invadir tecidos adjacentes ou órgãos a distância.

Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Quando começam em tecidos epiteliais, como pele ou mucosas, são denominados carcinomas. Se o ponto de partida são os tecidos conjuntivos, como osso, músculo ou cartilagem, são chamados sarcomas.

Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes, conhecida como metástase.

Leucemia – uma neoplasia infantil
A ingenuidade de uma criança transparece leveza e esperança na forma de enxergar o mundo. Mas, lidar com uma doença oncológica, pode, temporariamente, transformar o modo de enxergar o mundo devido as inúmeras dificuldades impostas pela doença.

Fevereiro, além do Dia Mundial do Câncer, é o mês de conscientização da leucemia, uma neoplasia considerada a nível infantil, já que 30% dos casos de câncer em crianças e jovens são da doença. A leucemia é um tipo de câncer que acomete os glóbulos brancos do sangue, mutando e multiplicando as células de forma descontrolada na medula óssea, ocupando o espaço das células sanguíneas saudáveis.

Segundo dados do INCA, no ano passado, foi registrado mais de 10 mil novos casos da doença. No Brasil, a leucemia está entre os 10 tipos de câncer com maior incidência entre o sexo masculino, com mais de 5 mil novos casos em 2020. Apesar de ser uma doença com maior frequência nos jovens, a leucemia também está presente entre os adultos. Cerca de 40% dos casos da leucemia linfoide aguda – um dos tipos da doença – acometem os adultos.


Fevereiro Laranja – a campanha 
Falar sobre a leucemia é levar conscientização e incentivar a participação da sociedade para estabelecer uma comunicação integrativa e participativa. Ao longo de todo o mês de fevereiro, diversas instituições e empresas promovem ações com o objetivo de conscientizar a população sobre a doença.

Campanhas que abordam a leucemia beneficiam instituições especializadas em neoplasias infantis. A participação da sociedade é crucial, levando em consideração que uma das formas do tratamento é através da doação de medula óssea. Atualmente, o Brasil tem mais de 800 pacientes na fila para a doação de medula, na espera de encontrar um doador compatível. Segundo informações do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), a compatibilidade é de 1 em 100 mil pessoas.

 

O transplante de medula óssea pode beneficiar no tratamento de mais de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias. Os transplantes estão sendo realizados normalmente, seguindo as recomendações sanitárias do Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Sociedade de Transplante.

Levar informações sobre a doença é dar esperança aos pacientes da leucemia. O entendimento e a culpa acabam sobrecaindo de forma mais dolorida, já que as crianças vivem em um mundo imaginário onde não existe dor e sofrimento. A pureza delas transmite esperança e amor, por mais que o tratamento da leucemia seja pesado e cansativo. Há instituições que fazem um trabalho diferenciado, que trazem leveza e um tratamento sob outra perspectiva.

Diário de uma criança, uma campanha singular 
Abordar temas como o câncer e outras doenças graves, nem sempre é uma tarefa fácil. Muito dos pacientes não se sentem confortável em contar sobre sua trajetória, ou sofrem certas discriminações por conta dos efeitos colaterais causados pelo tratamento, como a queda de cabelo, por exemplo.

Entretanto, com o crescimento de bandeiras e movimentos engajados, estes pacientes se apoiam nas redes sociais para transformar o seu sofrimento em conteúdo informativo. Como é o caso da campanha “Diário de uma criança: a luta de pequenos campeões”, da Singular Medicamentos, que aborda a saúde das crianças e jovens durante o tratamento de leucemia.

Além dos conteúdos que são divulgados nas redes sociais da empresa, eles convidaram diversos pacientes, de diferentes idades, para contar sua história em relação à leucemia. Como é o caso da Drielle Menezes, de 24 anos, diagnosticada com leucemia e câncer no pulmão, que se utiliza das redes sociais para contar um pouco do seu dia a dia, e angariar fundos para o seu tratamento.

Já a soteropolitana Daniela Silva, transplantada de medula óssea durante o tratamento contra a leucemia mieloide aguda, aborda suas experiências que teve com dois diagnósticos da doença. Hoje, em remissão, ela fala sobre sua maneira de enxergar o mundo e suas complicações durante o tratamento que quase culminou na perda do seu braço esquerdo. Daniela precisou vir até São Paulo para receber o transplante de medula óssea, coletado de seu irmão caçula, com 100% de compatibilidade.

A proposta da campanha é dar oportunidade para que estes pacientes mostrem a realidade do tratamento contra a leucemia, e incentivar a doação de sangue e medula óssea. Hoje, o TMO (transplante de medula óssea) é uma das alternativas mais eficazes do tratamento da doença.

Doações são essenciais às instituições 
Diversos pacientes precisam de apoio para a realização dos tratamentos disponíveis contra a leucemia. Muitos deles, depende dos recursos de instituições para ter acesso a meios de qualidade, que contribuam para a qualidade de vida e bem-estar. Entretanto, estas instituições se mantêm através de doações para continuarem ativas na contribuição àqueles que necessitam deste apoio.

O GRAACC, uma das principais instituições especializadas no atendimento à jovens pacientes com câncer, promove diversas ações para beneficiar os pacientes na cura do câncer infantil. A instituição é reconhecida por ser referência sustentável em pesquisa, diagnóstico e tratamento do câncer infantojuvenil, prioritariamente, para jovens e crianças de baixa renda.

A instituição conta com diversas ações que permitem a participação de empresas e da população na contribuição direta para os pacientes. Na campanha “Diário de uma Criança, a luta de pequenos campeões”, promovida pela Singular Medicamentos, que conta com o apoio do GRAACC, beneficia os pacientes na luta contra a leucemia. A cada 5 caixas vendidas do medicamento mesilato de imatinibe, o valor de uma unidade é revertido à instituição. Além disso, a empresa farmacêutica convida a todos para doarem qualquer valor na contribuição da manutenção dos serviços do GRAACC.

Deixe uma resposta