SAÚDE E BEM ESTAR

Menopausa e emagrecimento: Novas mudanças no corpo podem refletir na saúde e na vida

Foto: Divulgação  –  

Especialista da dicas sobre o emagrecimento e uma vida mais saudável durante a menopausa

Embora vista por muitas mulheres de forma negativa devido aos seus sintomas desagradáveis, a menopausa é uma fase natural na vida da mulher, onde, tecnicamente ela deveria se tornar “inativa” , ou seja, a fase em que a mulher passa do estágio reprodutivo para o não reprodutivo e por isso seu corpo produz bem menos hormônios (progesterona e estrogênio), explica a Dra. Bruna Marisa, médica endocrinologista que é defensora da reposição hormonal para aumento da qualidade de vida da mulher.

A menopausa faz parte do ciclo natural na vida da mulher e, por isso, está associada ao envelhecimento. Com isso, há uma perda de qualidade no metabolismo que vai se desacelerando, o que acaba impactando negativamente com a perda de tônus muscular e com o ganho de peso. Essa perda muscular pode ser contornada com exercícios físicos específicos para o ganho de massa muscular.

Segundo a Dra. Bruna Marisa, médica, Membro da SBEM, Pós graduada em Endocrinologia e Medicina Ortomolecular, “Parte do aumento de peso acontece devido ao envelhecimento. A mulher pode ganhar em torno de 5 a 10 kg na meia idade; mulheres nessa fase encontram mais dificuldades para queimar calorias, além da predisposição natural para modificações na tiroide e que vão agir diretamente no metabolismo, deixando-o mais lento”.

Para acelerar o metabolismo é necessário priorizar certos hábitos alimentares. Entre eles estão:
– Escolha os alimentos integrais e orgânicos
– Alimentos ricos em proteínas
– É preciso ficar atento ao ferro e a vitamina D
– Evite alimentos calóricos
– Beba muita água.

Os sintomas que acompanham a menopausa são a parada das menstruações, ondas de calor e suores noturnos, falta de libido ou diminuição no desejo sexual, ressecamento vaginal, dor durante o ato sexual e diminuição da atenção e da memória, insônia, irritabilidade, depressão e a perda óssea que também acompanha esta fase, pode causar a osteoporose.

A Reposição hormonal é uma terapia que tem a finalidade de diminuir estes sintomas desagradáveis e não parar a menopausa e deve-se investigar tudo a respeito, mas de modo algum deve-se usar a reposição hormonal como método para emagrecer.

Ao contrário do que muitos pensam, a Terapia de Reposição Hormonal (TRH), no período da menopausa, não é responsável pelo ganho de peso e nem pelo Índice de Massa Corporal (IMC), é o que aponta boa parte dos estudos recentes.

A gordura corporal, depois da menopausa, vai se juntando na parte central do corpo, no abdómen. O motivo disso ainda não está bem esclarecido, mas uma das alternativas é que pode ser a falta de tônus muscular. Praticar exercícios aeróbios para a queima de gordura, alternando com exercícios físicos abdominais para o ganho muscular, ajudará a evitar o ganho de peso e vai aumentar a musculatura abdominal.

As mudanças em nosso corpo são naturais, pois fazem parte do nosso processo de envelhecimento, o que facilita o acúmulo de gordura, principalmente na região do abdómen. Não podemos culpar apenas a alteração hormonal como responsável pelo ganho de peso. Por isso sempre indico uma alimentação equilibrada, como a dieta low carb, acompanhada de uma prática disciplinada de exercícios físicos. São duas coisas fundamentais para a mulher na fase da menopausa, não apenas para perder a barriga, mas para se manter em forma, como uma proposta de vida mais saudável para o nosso corpo e nossa mente”, finaliza  Dra. Bruna Marisa

Créditos:
Dra. Bruna Marisa
Autora do E-Book: Guia de Emagrecimento Definitivo e Duradouro.
www.drabrunamarisa.com.br
Instagram: @drabrunamarisa

 

Deixe uma resposta