SAÚDE E BEM ESTAR

Nutrólogo dá dicas para ceia mais saudável

Foto: Reprodução/Internet  –   

Nutrólogo do Hospital Igesp aconselha que devemos dar preferência, sempre, para os alimentos conhecidos como “de verdade”

Todo ano, no período do Natal e Ano Novo, temos a missão de preparar uma ceia para reunir familiares e amigos ao redor da mesa. Pensando nisso, Dr. Andrea Bottoni, nutrólogo do Hospital IGESP, dá dicas para que a alimentação de fim de ano seja saudável sem deixar de aproveitar o momento de festividade. Afinal, ter uma relação mais harmoniosa com a comida é fundamental para evitar exageros e compulsões.

Para começar, o especialista lembra que, nesses dias de festas, é possível comer um pouco de alimentos ricos em açúcar e em gordura sem culpa e terrorismo nutricional. “Não se engorda do Natal ao Ano Novo. Também, não é isso que, de uma forma geral, se cria problemas para a saúde. Os problemas acontecem ao longo do tempo e não apenas por alguns dias de festividades. Acredito que as pessoas deveriam se preocupar em seguir uma alimentação saudável sempre e não, apenas, por medo de comer em uma época do ano”, alerta.

Dr. Andrea esclarece que devemos dar preferência, sempre, para os alimentos conhecidos como “de verdade”, como frutas, legumes, vegetais, oleaginosas, grãos e integrais, evitando comida industrializada e com mais gordura.

O nutrólogo explica que consumir frutas oleaginosas, que são típicas desta época, como nozes e castanhas, pode ser interessante para a saúde, pois são alimentos que contém gorduras insaturadas, proteínas, fibras, antioxidantes e algumas vitaminas. “Assim como não existe alimento que precise ser eliminado ou criminalizado, não há um prato que possui o poder de cura, por exemplo. Não é porque comemos algumas castanhas ou frutas depois de comer quilos de carne, batatas fritas e doces, que vai ficar tudo bem.”

Sobre o preparo dos alimentos, o nutrólogo recomenda que o mais saudável é fazê-los assados ou a vapor. “Porém, se nesta época, você quer comer, com consciência, algo que não come no dia a dia, não tem problema nenhum. O problema é se alimentar diariamente, como se todo dia fosse Natal”, destaca.

O médico relata que as consequências de uma alimentação ruim são inúmeras, como diabetes, pressão alta e obesidade. Mas enfatiza que são consequências a longo prazo. “Não é um dia que se come mais que a pessoa vai virar obesa ou vai desenvolver diabetes e pressão alta”, finaliza.

Deixe uma resposta